terça-feira, 27 de maio de 2014

Eu sempre disse sim.

Um dia eu disse sim para a coragem. Virei a página de uma história banal para dizer sim para mim. Dizer sim, vou correr o risco e, sim, eu me responsabilizo. 

Eu disse sim para a imagem distorcida que se revelava de você. Eu disse sim para os seus defeitos, ainda que em todas as nossas brigas eu aja como se nunca tivesse dito sim. 

Eu disse sim para essa nova escrita embolada de uma história estranha de amor. Eu disse sim para a diferença de idade, tão insignificante hoje. Eu disse sim para os seus cabelos brancos e para seus fracassos amorosos anteriores. Eu disse sim, eu vou curá-lo.

Eu disse sim para esse medo que varria como vassoura velha meu coração doente. Eu disse sim para todos os arranhões. E disse sim para essa coisa torpe que parecia não dar em nada. Eu queria viver e vivi. Eu disse sim, ele vai me curar.

Eu gritei sim para nossas maiores brigas e as escolhi para serem minhas. Eu disse sim para os seus sonhos e os encaixei nos meus cochilos vespertinos. Eu disse sim para suas perdas e seus defeitos tão dolorosos em mim. Eu disse sim para a cruz e para a coroa de espinhos. Eu queria ser sua fé, seu lar doce lar. 

Eu disse sim quando você me revelou suas lágrimas e disse sim para nossa vontade de ter filhos. Eu disse sim para todos os dias que nos fizeram repensar, pois foram eles que nos impulsionaram para o dia seguinte. Eu disse sim para a dúvida e vivi a insegurança para, só depois, dizer sim à certeza da nossa verdade.

Eu disse sim mil vezes em minha mente. E muitas vezes você não as escutou. Eu senti o sim duas mil vezes e profanei o não. Eu senti muito por isso. Eu resgatei o sim.

Eu disse sim para a milésima tentativa e disse sim para mil lágrimas seguidas. Eu disse sim para a escolha e para o caminho espinhoso que eu teria que seguir. Eu disse sim para todo o esforço, para as renúncias e os ajustes.

Eu escrevi o sim muitas vezes nos nossos votos sentimentais de um matrimônio futuro. Eu pedi o sim com o olhar todas as vezes que sua voz firme me dava um não. 

Eu digo sim para você, pois sua imagem é afirmativa. Eu digo sim para você, pois ainda estou aqui. Meu sim é de ouro, guarde-o amarrado, amordaçado, exposto a todos os seus nãos, para que toda vez que uma negativa quiser enlamear nosso rio de leite do paraíso, ela se depare com o meu sim furtivo e esmoreça na fraqueza da sua falta de energia. 

Aqui só cabe sim; Sim pra mim; Sim, é você.


2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...